Consumo consciente é possível?

3certo

– Moda ou Estilo de Vida? –

Não sei se é impressão minha, se são as pessoas que acompanho em redes socais ou os blogs que leio com maior frequência, mas parece que tenho visto cada vez mais ser veiculada por aí a expressão “Consumo Consciente”. Aí essa semana me peguei pensando nas coisas que comprei esse ano e se as minhas escolhas em relação ao consumo realmente estão mudando como me prometi que faria.

O fato é que eu fui uma criança muito econômica, uma adolescente muito gastadora e hoje sou uma jovem que tem muito o que aprender sobre finanças. Ainda gasto bastante e uma das minhas resoluções pra 2015 é gastar menos e melhor. Já to conseguindo pensar antes e comprar depois, o que diminuiu muito aqueles arrependimentos pós-compras.

Durante a arrumação que estou fazendo – sim, tá demorando, mas é porque tinha muita coisa pra pôr em ordem – eu vi que comprava coisas que não precisava e muitas delas não cheguei a usar ou usei 1 ou 2x. E são essas coisas que estão saindo do meu armário e da minha vida… tô desapegando sem medo de ser feliz! Coisa parada não deixa energias boas circularem.

2

Além disso, quanto mais coisa a gente tem parada, mais a gente sente que precisa comprar… quando a gente organiza tudo, vemos que usamos sempre as mesmas coisas não por falta de opções, mas sim porque aquilo que está a vista é o que pegamos primeiro, ou seja, se você não vê, você não usa. Por isso é tão importante um armário organizado e com tudo bem visível.

Os passos que estou seguindo e que estão funcionando pra mim são:

  1. Tirei tudo que não uso há mais de um ano e coloquei coisas que não uso há mais de 6 meses visíveis… se eu não usar mesmo assim, vão sair também!
  2. Deixei tudo acessível e visível, pois como já falei, o que a gente não vê, não usa!
  3. Enquanto arrumo vou fazendo uma listinha de coisas que realmente preciso. E por incrível que pareça são poucas coisas e a maioria delas são peças básicas como T-shirts lisas.
  4. Penso antes de comprar… compra por impulso é péssimo. Se vejo algo que gostei e não está na minha listinha de necessários, eu vou pra casa, penso se preciso mesmo daquilo. Se depois de alguns dias eu chegar a conclusão de que devo comprar, eu volto e compro. Mas a maioria das vezes eu esqueço o que queria antes de chegar em casa, o que prova que não era necessário, né?
  5. Tracei prioridades: se quero comprar algo de R$100 reais, por exemplo, eu vou na minha listinha de prioridades e vejo o que eu poderia realizar com aquele valor, mesmo que seja só uma parte do valor total que preciso. Assim peso se vale a pena sacrificar algo que quero muito por um desejo momentâneo.

1

Minhas compras hoje não são baseadas na quantidade como já foram, e sim na qualidade. Como já falei neste post, tudo é uma questão de custo-benefício.

Estou no caminho, mas sei que ainda tenho muito o que aprender. Diferente do que dizem sobre o “consumo consciente” estar na moda, penso que isso é um estilo de vida. É preciso mudar o jeito de pensar, de agir  e de escolher e é um processo diário e que leva tempo pra ser internalizado, mas que é possível, isto é!

4 Thoughts on “Consumo consciente é possível?

  1. Pingback: Tempo x custo: vale o investimento? - IsaRodrigues | Vida e Estilo

  2. Pingback: 7 dicas pra comprar mais consciente - Espiral de Estilos

  3. Júlia Rodrigues on 12/02/2015 at 07:21 said:

    Amei o post e vou seguir as dicas!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Post Navigation