Tempo x custo: vale o investimento?

Outro dia recebi um quote com a seguinte pergunta: “quantos dias você gasta para comprar o que deseja?” Muitas vezes não paramos pra pensar, quando fazemos uma compra,  que não estamos investimos só dinheiro. Pra toda quantia que desembolsamos foi necessário dispormos de tempo, de conhecimento, de energia. E apesar de serem imensuráveis são fatores que podem ser levados em conta na hora de comprarmos ou não algo.

1

Consumir muitas vezes segue uma lógica simples: tenho dinheiro, vou comprar. Porém, em época de crise e principalmente de movimentos que nos fazem pensar cada vez mais em comprar consciente, é necessário entendermos que toda compra é investimento. Investimento de dinheiro sim, mas principalmente de vida!

Coloque no papel o quanto você ganha e quantos dias ou horas você trabalha. Agora pegue o valor da última coisa que você comprou. O quanto você demoraria pra pagar?

2

Com essa fórmula básica, dá pra ter pelo menos uma ideia de quanto tempo teríamos que dispor pra comprar algo. Já aconteceu comigo muitas vezes de não conseguir comprar algo que me exigia mais, pois acabava passando outras coisas menos importante a frente por exigirem menos.

Claro que o ato de comprar envolve muitos fatores e não é errado querermos ter algo. O importante é que possamos cada vez mais estamos conscientes, diminuindo compras por impulso ou para camuflar qualquer outro problema que temos, já que é comprovado que comprar traz um bem estar, mas é um sentimento passageiro.

Não é primeira vez que esse tema aparece aqui – 1, 2, 3 – e como já disse, acredito que consumir melhor é um exercício diário. Algumas vezes escorregamos, caímos em uma ou outra tentação, mas quanto mais a gente valoriza aquilo que conquistamos, menos necessitamos de algo novo todo dia.

Hoje sinto mais prazer em passar um mês sem comprar nada do que comprar algo e depois ver que eu nem queria tanto assim. Fácil não é, mas pelo menos pra mim, está sendo um processo recompensador. Alguém aí também tá se desafiando a consumir melhor? 

Shipito: uma caixa postal internacional pra chamar de sua

Falei neste post aqui sobre compras internacionais e como muitos vendedores do Ebay deixaram de mandar produtos pro Brasil por conta dos extravios e das inúmeras reclamações dos compradores por causa do atraso dos correios – que mesmo não sendo culpa dos vendedores, eles que acabavam tendo que responder por isso.

Mas como também disse no mesmo post, há coisas que só achamos no Ebay e depois de diversas vezes que precisei de algo e não consegui comprar por não entregar no Brasil, eu procurei e acabei achando uma ótima solução, a Shipito

O que a empresa faz é ser uma intermediária entre o vendedor gringo e você.

1

Funciona assim: você escolhe um plano do site – tem desde o armazenamento grátis, até aqueles que você paga por ano, que é o que eu tenho –  e depois do cadastro e da escolha do plano, são disponibilizados pra você alguns endereços internacionais. Eu uso sempre o mesmo que é o que está cadastrado na minha conta do Ebay… daí quando pago uma compra ela é enviada direto pra minha caixa postal, que me avisa quando o produto chegou. E eu posso pedir pra ser enviado pra mim na mesma hora ou deixar armazenado por até 90 dias.

Não é um serviço que eu uso sempre, porque ao chegar um produto na minha caixa postal, além do valor que paguei pelo meu plano, eu preciso pagar o frete para o produto ser enviado da minha caixa até o Brasil, então sempre faço as contas e vejo se realmente vale a pena fazer o uso do shipito pra determinada compra.

Mas há a vantagem de que o site lhe dá diversas opções de fretes disponíveis e vocês escolhe o que é melhor pra você, e na maioria das vezes há opções bem acessíveis. Algumas vezes vale mais a pena usar a intermediação do shipito, do que pagar o frete direto do Ebay, que quase sempre é absurdo – para um pacote pequeno, costumo pagar menos de US$ 5, mas tudo vai depender do tamanho e peso. 

O serviço está disponível em vários países e eles tem atendentes que falam português, o que facilita demais o contato em caso de alguma dúvida.

Se você, como eu, faz muitas compras internacionais, acho uma opção bem legal e útil. Já uso há anos e sempre fui muito bem atendida!

Vale o quanto custa?

calc

Quando vamos comprar alguma coisa, surge o pensamento: Vale a pena pagar esse preço por essa peça?  Podemos – e devemos – analisar aspectos como o tecido, o acabamento, se combina ou não com outras coisas que temos no armário, se está na promoção…  pode ser que apenas um desses aspectos nos faça realmente decidir ou não por uma compra ou pode ser todos eles juntos.

Acho muito difícil responder pra quem me pergunta se uma compra vale a pena ou não, pois como citei aí em cima são diversos os fatores que influenciam na nossa decisão e isso é muito pessoal. O que posso dizer, é que adoto um pensamento baseado no que aprendi com pessoas que atuam como Personal Stylist e vou mostrar como é, acho que pode ajudar vocês tanto quanto me ajuda.

A conta é bem simples:

Divida o custo do que você quer comprar por 12, que é o número de meses do ano. O resultado te informa quanto a peça custará se você usá-la uma vez por mês, que é considerada uma frequência de uso ok.

Ex.: 120 (custo da peça) : 12 (nº de meses do ano) = 10 (custo/mês).

Então uma peça de 120 reais te custa 10 reais por mês se você usa ela pelo menos uma vez. Mas digamos que seja uma calça jeans e você acabe usando ela uns 10 dias por mês. Assim, a calça na verdade custa pra você 1 real por dia e passa a ser um investimento baixo em uma peça que você usa muito. Mas se você compra a mesma peça e usa uma vez no ano, o investimento de 120 reais acaba sendo alto.

Entenderam a lógica? Dessa forma, o valor da peça não está no quanto ela custa, mas sim no quanto você usa. 

No início parece meio complicadinho ou chato fazer essa conta, mas depois de um tempo vira um pensamento quase que automático e me ajudou muito a evitar compras desnecessárias… espero que ajude vocês também!