Decoração: gastando pouco com almofadas

Quando falamos em decoração, muita gente logo pensa que é algo caro e inacessível. Claro que muitas das coisas que vemos em pinterest da vida não são pra todo bolso. Mas a gente pode sempre se inspirar e procurar opções mais em conta e que tenham efeito parecido!

Já contei por aqui que estava querendo novos ares no meu quarto, pois ele era basicamente o mesmo desde meus 12 anos. Comprei uma cabeceira, uma cristaleira para colocar meus acessórios e depois investi em coisas mais baratinhas, como tapetes, luminárias e quadrinhos.

Outra coisa que fiz, adorei e vim correndo contar pra vocês foi investir mais em roupas de cama e almofadas! São baratas, versáteis e quando enjoar, é só tirar por um tempo. Olha só:

A3

Escolhi em tons de roxo por ser minha cor favorita. E assim como nas roupas, na decoração também podemos fazer mix de estampas.

A2

As almofadas laterais são do Carrefour e custaram R$10. A lilás do meio é da Leader e foi R$ 8. As fronhas com a mesma padronagem das almofadas achei por acaso na Havan e também custaram R$8. 

Viram que cada coisa é de um lugar diferente? A dica é sempre procurar e não ter pressa. Vá montando aos poucos e achando peças que combinem com seu estilo e entre si.

A1

Deixei tudo bem combinadinho porque gosto e to apaixonada 🙂 Mas trocando as fronhas dos travesseiros por exemplo, eu já teria outra composição, dando cara nova ao ambiente com peças que já tenho em casa.

Agora quero a ajuda de vocês: quem tiver dicas de peças baratinhas e com efeito, deixa nos comentários! Ainda to procurando opções legais e aí vou mostrando por aqui, ok?!

7 dicas pra comprar mais consciente

0508

Estamos naquela época do ano em que saímos de casa e em todas as lojas só vemos duas coisas: promoção ou lançamento de coleção. Aí pode dar aquela vontade de sair comprando tudo, né? Mas calma, são nessas horas é que a gente acaba adquirindo aquelas peças que na empolgação a gente achou que ia usar muito, mas acabaram ficando esquecidas no fundo do armário.

Já contei em alguns posts (aqui e aqui) no blog que estou em uma busca por um consumo mais consciente e passei a aproveitar essa época para adquirir coisas que realmente estou precisando ou que estava querendo muito, mas não queria pagar o preço cheio. 

E as dicas que tenho pra dar que estão funcionando pra mim são:

  1. Mantenha tudo no seu armário bem visível. O que não se vê, a gente acaba não usando. Sabendo tudo o que você tem, dá pra tirar coisas que não usa há muito tempo e dar espaço a coisas novas.
  2. Faça uma lista do que você precisa. Eu deixo sempre uma caderneta dentro de uma gaveta no armário e toda vez que arrumo ou que vou sair e sinto falta de uma peça específica, eu anoto! Assim sei exatamente o que preciso comprar e já saio focada nessa lista, o que evita que eu gaste com outras coisas.
  3.  Pense no seu estilo, seu corpo e seu dia-a-dia. Sabendo do que você gosta, o que te veste bem e as ocasiões onde poderá usar determinadas peças, suas chances de comprar algo que não tenha nada a ver com você ou com as outras coisas que já tem diminuem.
  4. Experimente sempre! As vezes na euforia a gente acaba levando uma peça linda pra casa, mas que não tem nada a ver com o nosso estilo ou tipo de corpo. E por mais lindas que sejam, são essas as peças que sempre nos arrependemos de comprar. Nunca deixe de experimentar, mesmo que depois você possa voltar pra trocar… pra que ter trabalho duas vezes? Melhor perder uns minutinhos na loja, do que perder uma quantia de dinheiro que você podia ter empregado em outra coisa que ia usar!
  5. Eleja algumas lojas que combinem com você. Claro que a gente não precisa comprar sempre no mesmo lugar, mas já conhecendo nosso estilo e gosto, a gente passa a se identificar mais com algumas marcas/lojas do que outras, o que pode ser bom, assim já sabemos onde procurar primeiro quando precisamos de algo, e a chance de errar diminui.
  6. Pense no custo-benefício. Evite comprar peças só porque estão muito baratas ou porque são de uma coleção nova e você precisa ter. É melhor investir em uma peça mais cara que você vai usar muito, do que uma barata que vai ficar encostada – já falei sobre isso aqui.
  7. Fuja de modismos. Conhecer tendências é legal e ajudam a gente a ter mais opções na hora de vestir, mas leve sempre em conta o que você realmente gosta e combina com você, assim você evita comprar aquela peça que está super em alta, mas você usou só uma vez porque na verdade não tinha nada a ver com você.

Essas dicas são meio que um exercício e a gente precisa praticar, assim, com o tempo fica mais fácil. Alguém já leva em conta algumas dessas opções na hora de comprar?

Valorizando o look: bolsa vermelha

Vocês já sabem que meu assunto preferido no universo da moda são as bolsas… sou apaixonada e to sempre de olho em novidades! Hoje vou mostrar a diferença que uma bolsa vermelha pode fazer no seu look.

blog3

Composições neutras que ganharam um charme a mais por causa do ponto de cor que a bolsa traz. E pode ser clichê, mas olha a segunda foto e me diz se vermelho e azul marinho não serão sempre uma combinação perfeita?!!

blog

É uma cor que cai bem em qualquer estação, por isso pode abusar… E lembram que ontem eu disse que fica legal SIM combinar sapato e bolsa? Olha aí!

blog2

Paras as mais ousadas,  que tal unir uma bolsa vermelha e oncinha? Eu adoro! Para as mais tradicionais, P&B sempre vai ser uma opção segura, mas fica mais interessante com as listras.

blog1

Confesso que sempre tive um pouquinho de implicância com o combo preto+vermelho… Porém, misturando com as peças certas, dá pra usar sem parecer que a gente está indo pra um jogo do flamengo – Rs!

Viram que mesmo looks simples podem ficar charmosos e interessantes quando aliados a acessórios poderosos como as red bags

Armário cheio x funcional

Sem-Título-2

Lembram desse post onde contei sobre minha meta de poupar mais esse ano para realizar coisas que sempre quis e acabo deixando pra depois? Pois é, uma das coisas que percebi, é que pra gastarmos menos com roupas, sapatos e acessórios, precisamos ter sempre um armário organizado.

Pode parecer besteira, mas um armário muito cheio aumenta nossa sensação de “não termos nada para vestir”, pois acabamos usando só as roupas que estão mais visíveis e esquecemos de outras que ficam escondidas no fundo das prateleiras ou gavetas. Quem nunca achou uma peça que nem lembrava que tinha em um dia de arrumação?

Como segunda-feira eu entro de férias – ebaaaaaaa!- está aberta a temporada de organização aqui em casa! Procurei algumas dicas para termos um armário mais funcional que vou dividir hoje com vocês e depois mostro o antes e depois do que eu fizer aqui no meu, tá?

No geral:

  • Antes de começar a arrumar, tire tudo do armário e separe sempre suas roupas, sapatos, bolsas e demais acessórios em três pilhas: guardar, doar e arrumar. Essa última é para aquelas peças que precisam de conserto e que só devem voltar para o armário depois de prontas, assim a gente não esquece de arrumar.
  • O que você usa com mais frequência deve ficar mais acessível, mas sem esconder nada, tudo precisa ser visto para não correr o risco de não ser usado.

Roupas:

  1. Experimente todas as peças e decida o que vai e o que fica. Com o tempo, nosso gosto sempre muda e aquela roupa comprada por impulso ou porque era o hit da estação pode não ter mais nada a ver com a gente. Neste momento, adote o seguinte pensamento: se em um ano você não usou a peça pelo menos 1x, é provável que não vá usar mais! 
  2. Compre cabides do mesmo tamanho e cor, isso deixa o armário visualmente mais harmônico e facilita na hora de organizar. O ideal é que cada peça fique em um cabide, mas se não der, agrupe por peças do mesmo tipo, assim você saberá o que está por baixo.
  3. Separe tudo que está na pilha de guardar em categorias: roupa de frio, de calor, de ficar em casa, de festa, de trabalho. Depois decida onde vai ficar cada tipo: calças, blusas de manga curta/longa, vestido curto/longo, etc… Dessa forma, você já vai saber onde está cada coisa na hora de se arrumar.
  4. Agrupe as peças por cor, assim quando for montar um look você já sabe o que precisa e onde pegar.
  5. Lembre-se que roupas de tricô, por exemplo, não podem ser penduradas para não deformar.

Sapatos:

  1. Guarde sempre o par junto, isso evita que você fique procurando onde está o outro pé na hora de sair de casa.
  2. Separe por grupos, assim como as roupas: salto, sapatilha, tênis, botas, chinelos… Depois por frequência de uso e cor. Por exemplo, no meu caso, sandálias de festa e botas de cano alto são menos usadas que sapatilhas. E as sapatilhas de tons neutros, por sua vez, são mais usadas que as estampadas, por isso coloco elas mais visíveis e fáceis de pegar.

Acessórios:

  1. Separe: bijuterias de festa, brincos pequenos/grandes, cordões pequenos/longos/maxi colares, anéis, pulseiras e relógios. Guarde em caixas, saquinho, gavetas, o que achar melhor, mas sempre em grupos.
  2. Bolsas: coloque enchimentos para evitar que percam o formato e separe por cor, formato e/ou tamanho. 

 Obs:

  • Mantenha seus sapatos e bolsas sempre limpos. Como são itens que não lavamos a cada uso como as roupas, podemos deixar para higienizar depois e na hora de usar, encontrarmos alguma mancha ou sujo. Eu, por exemplo, vivo tendo que limpar manchas de jeans das minhas bolsas.

E não se esqueça: quanto mais organizado seu armário ou closet estiver, mais você vai ver e usar o que você tem e menos vai sentir necessidade de comprar.

Por hoje essas são as dicas que pesquisei por aí. Daqui a uns dias mostro pra vocês como fiz minha organização!

Wishlist for 2015

post2

Pela primeira vez no ano passado eu fiz a famosa lista de resoluções para o ano que estava vindo… Aí chegou o fim do ano e quando eu fui ver o que tinha cumprido daqueles desejos todos: FAIL! Pois é, eu cumpri uma ou duas coisas, mas a maioria ficou sem fazer – até porque a lista era bem subjetiva!

Acho que a maioria das pessoas sofre do mesmo mal, né? Por isso, quando vi a reportagem que May Groppo, uma consultora que escreve para a revista argentina OhLaLá fez, achei bem legal a proposta dela! Todo ano ela se faz 22 perguntas sobre o ano que passou pra avaliar não só o que fez ou deixou de fazer, mas também o que influenciou para isso.

Como a lista é grande, eu selecionei só 10 perguntas para ajudar a gente a reviver 2014 e levar em consideração esses pontos pra vir com tudo em 2015:

  1. O que fez que nunca tinha feito?
  2. Cumpriu suas resoluções do ano passado?
  3. Que lugares ou países visitou?
  4. O que você queria muito que conquistou esse ano?
  5. O que você queria muito que ainda não conquistou?
  6. Qual foi seu maior investimento?
  7. Para onde foi a maior parte do seu dinheiro?
  8. Mudou algo no seu modo de vestir e se cuidar?
  9. O que te fez mais feliz este ano?
  10. Que lição valiosa você aprendeu?

Além dessas perguntas que me ajudaram muito, procurei traçar metas bem realistas e diretas, assim fica mais fácil focar e conseguir realizar. E aí, vocês já fizeram a wishlist de 2015? Corre que ainda dá tempo!

PS1.: Quem quiser ver a lista completa, com as 22 perguntas, a May Grappo postou no twitter dela (@muygrappo).
PS2.: Um ano lindo para todos nós… Minha mãe sempre dizia que ano ímpar dá sorte, então espero que 2015 seja recheado de pessoas especiais, momentos felizes e muitas conquistas!