Já olhou dentro do seu armário – e de você – hoje?

Sempre amei estampas e tons vibrantes. Lembro que há algum tempo atrás, quando eu procurava uma peça lisa e básica no meu armário, nunca encontrava uma do jeito que eu queria, pois na hora das compras, optava por peças cheias de detalhes, cores e texturas – e pouco tempo depois já estava enjoada. Semana passada, quando estava arrumando meu armário, tive uma surpresa ao perceber que as coisas mudaram bastante e quis muito bater um papo sobre isso com vocês.

1

Essa foto aí em cima são das minhas t-shirts e fora duas cinzas que estão lavando, estão todas aí. E eu, que como contei lá em cima sempre fui a louca das estampas pouco a pouco fiz a transição pros tons neutros. Branco, preto e cinza são os queridinhos e azul marinho é uma cor que deixa a gente chic sem esforço.

Outra coisa que me chama a atenção é que pra chegar nessa quantidade que vocês estão vendo, reduzi no mínimo 1/3 do que tinha. Cada vez mais venho buscando qualidade ao invés de quantidade, influenciada pelo que tenho encontrado nas minhas pesquisas sobre minimalismo. Gosto cada dia mais também da metodologia e compartilhamento de ideias das consultoras de estilo da Oficina de Estilo. É incrível e vale muito a pena acompanhar o conteúdo do blog e do intagram delas.

Isso indica que quanto mais eu aprendo, mais isso influencia nas minhas escolhas e claro que isso se estende ao que visto, pois é também uma forma de comunicar quem sou e o que quero. A vida da gente vive mudando. Trocamos de trabalho, de relacionamentos, de interesses. Nada mais justo que o nosso guarda roupa se adaptar a todas essas fases. Não é porque um dia já gostamos de vestir uma coisa, que vamos ter que gostar pra sempre. É algo que leva tempo, mas há alguns meses venho mudando meu estilo e quanto mais básico, pra mim melhor. Claro que um básico com toque de interessância, mas ainda assim, o amor pela dupla calça jeans e t-shirt só tem aumentado.

A

Nesse tempo, percebi que a busca por peças atemporais tem tudo a ver com o comprar menos – ficamos mais críticas com a enxurrada de tendências a que somos expostas todos os dias. Observar tecido, corte e caimento passam a ser obrigatórios em peças básicas, porque o foco fica no vestir bem. Aí é só cuidar e dá pra fazer nossas roupas queridinhas durarem muitas estações. 

Pra quem como eu passou ou está passando por uma transição de ideias e estilo, é sempre legal buscar inspirações. Vai salvando tudo que vocês gosta e depois observe o que mais se repete. Essas são provavelmente peças que podem fazer parte do seu dia-a-dia. E não tem receita. Só você sabe o que é indispensável no seu guarda roupa. Por exemplo, quando estou buscando inspirações, já contei que sempre gosto daquelas mais simples possíveis, mas todas elas tem algo mais. Um colete, uma blazer, um colar, uma bolsa. Isso porque pra compor aposto em uma terceira peça e acessórios – isso mesmo antes da transição – que é no que mais invisto hoje em dia e por isso looks desse tipo não passam despercebido.

E não tenho regras pra vestir. Ainda gosto muito de estampas e não vou deixar de usar, mas elas ficam mais restritas a macaquinhos, vestidos e casacos. Ou às camisetas que por não terem manga prefiro usar com sobreposições.

Quis falar tudo isso pra propor um exercício bem simples: abra seu guarda roupa, veja quais são as peças, padronagens e tecidos que mais se repetem e como você gosta de usar. Com certeza eles dizem muito sobre você. Se vestir não é um ato isolado, né? A gente sempre quer passar uma mensagem e o jeito que nos apresentamos pro mundo diz muito mais sobre a gente do que pensamos! 🙂

Entre riscos e cortes: a nova coleção da Moschino

A diversão está em alta no mundo fashion. Lembram das coleções inspiradas no Mc Donald’s e na Barbie que causaram comoção nas semanas internacionais de moda? Pois é, são coisas do passado.

No comando de Jeremy Scott, a Moschino continua a surpreender! Eu acho super legal quando a moda se apropria do pop, e foi isso que aconteceu no desfile de outono-inverno 2015/2016: a passarela foi tomada por estampas que nos rementem ao universo da costura: fitas métricas, tesouras, cabides, riscos de corte e símbolos que vemos nas etiquetas internas, agora colocados à mostra.

Adorei a estampa e o contraste do amarelo com o preto.

1

Percebem que a modelagem dos vestidos é tubinho? As formas simples deixam em evidência os prints. Super usáveis, né?

01

Alfaiataria revisitada: P&B, corte elegante e impecável, contraste de cores e aviamentos dourados. Combinação que deu certo. Não curti muito o segundo look, mas amei o terceiro.

5

Os trench coats estão um show a parte! E no look do meio vemos que a pegada esportiva continua com tudo.

7

A estampa principal do desfile é bem mais colorida do que estamos acostumadas a ver no inverno! Os tons quentes ficaram realçados pelo frescor do branco e do verde menta. 

3

O primeiro look parece muito com os apresentados no desfile da Barbie e confesso que pra vida real acho que não rola sair toda de pink por aí – rs! Laranja eu acho lindo em acessórios, mas em roupas tenho um pouquinho de resistência. E esse tom de verde? Lindo né? Bem candy!

2

Esse aí de baixo até ofuscam nossa visão – rs! Não gostei muito de nenhum, achei brilhoso demais e não usaria, mas como é passarela vale tudo né? Para quem quiser se jogar na tendência, prefira peças com paetês foscos, são mais elegantes e evitam que pareça que você está saindo de uma festa disco.

4

E por fim o meu preferido. O único look branco que encontrei e pra mim é de uma simplicidade genial! 

pref

No geral gostei bastante e achei tudo bem mais comercial que as últimas coleções que a Moschino apresentou. Com certeza usaria várias peças! E aí, o que acharam?