Diário da Dieta #3: menos 15Kg e dicas de substituições

Essa semana fez quatro meses desde que me propus a mudar minha alimentação e começar uma rotina de exercícios. De lá pra cá já são menos 15Kg e o melhor: sem sofrimento. Apesar dos posts sobre esse processo estarem agrupados aqui como “Diário de Dieta”, a verdade é que embarquei em uma reeducação alimentar, que é o que acredito que realmente muda nossa forma de pensar e agir em relação não só ao que comemos, mas como vemos nosso corpo também.

seg

O mais importante pra mim foi perceber que eu tinha que vencer a mim mesma, a preguiça e ao sedentarismo. E aí entra a parte de entendermos que o corpo de qualquer outra mulher, por mais lindo que seja, não é o meu. O que eu busco não é ser igual a ninguém, e sim  ser o melhor de mim mesma. Chegar até o melhor que eu conseguir, sem loucuras, sem pressa.

Mudar nossa alimentação, se exercitar todos os dias, tomar mais água, tudo isso é uma mudança de rotina, de vida, de pensamento. Leva tempo e querer apressar as coisas só vai trazer mais estresse. Já contei por aqui que muitas vezes fiz dietas bem loucas né? Emagreci? Sim! Mantive? Não. Porque assim que perdia um pouco de peso, voltava a comer tudo que queria e ganhava o dobro de peso. Não vale a pena.

Então para quem quer levar uma vida mais saudável e perder peso, vou falar um pouco de algumas substituições que faço e que me ajudam a continuar firme, sem jacar:

1. Arroz x Grão de Bico:

Eu posso comer três colheres de arroz por refeição. O integral é sempre o mais indicado, mas eu enjoei e não queria comer isso todo dia. Claro que ele pode ser substituído por muitos outros alimentos, mas o que mais me adaptei foi o grão de bico. Com ele dá pra fazer pastas, molhos e diversos tipos de salada. E é bem em conta. Dá pra cozinhar e congelar as porções, que além de render bem ainda faz a gente economizar muito tempo.

2. Cebola x Cebola roxa

Eu cortei temperos industrializados e a cebola e o alho estão sendo meus maiores aliados. Acontece que muitas vezes eu opto por comer a cebola crua e por isso, descobri testando que a roxa, que eu não tinha costume de comprar, é muito mais suave a agradável. Então sempre prefiro comprar dela ao invés da comum. Ela é um pouco mais cara, mas não é tanta diferença e deixa os pratos mais saborosos.

3. Tomate x Tomate Cereja

Óbvio que nunca fui super fã de salada e antes da reeducação alimentar comia bem pouco. Depois comecei a procurar ingredientes pouco calóricos e gostosos pra dar mais sabor e acompanhar aquele alface de cada dia. Sempre gostei bastante de tomate, mas esses tomatinhos cereja são adocicados e suculentos. São ideais para salada e sanduíches.

4. Jantar x Sopa

Agora no inverno, to tomando bastante sopa a noite. Procurei algumas receitas na internet, minha nutri me deu outras e todo dia tem alguma diferente aqui em casa. Dessa forma a gente não enjoa, dá pra comer bem e ainda aquece. Sinto que a sopa/caldo me deixa mais saciada e é bem mais fácil e rápido de fazer do que um jantar convencional.

5. Abacate

Esse não é bem uma substituição e sim uma adição. Eu não tinha costume de comer abacate, mas minha nutri mostrou que ele reduz a taxa de colesterol e pressão sanguínea, tem ação oxidante e anti-inflamatória, é benéfico para o intestino e fígado, evita fadiga mental, ajuda na formação de ossos e dentes e fornece energia, aumentando a disposição. Ufa! Convenci vocês também de que vale a pena inserir ele na alimentação? E oh, dá pra varias muito nas receitas. Faço guacamole, saladas, molhos…

+ Maionese

Uma das minhas maiores dificuldades na reeducação não foi ficar sem fritura ou sem doce, e sim a bendita maionese. Amo/sou viciada e sinto a maior falta. Então já que falamos do abacate, vou passar uma receitinha de Maionese de Abacate que é mais saudável e gostosa.

Ingredientes:

  • Polpa de 1 abacate médio
  • 1/2 xícara de azeite extra virgem
  • Suco de 1 limão
  • 8 colheres de sopa de água
  • 1 colher de chá de sal
  • 1 pitada de pimenta do reino, ervas ou alho (a gosto)

Preparo:

Bata tudo no liquidificador: a polpa do abacate, o limão, a água e os temperos. Vá acrescentando o azeite aos poucos e batendo. Se desejar, adicione ervas picadas. Acompanha lanches, patês e saladas. Tampado e conservado em geladeira, dura até 3 dias. Fácil né? Façam em casa e me agradeçam depois! 🙂

Mais um Diário de Dieta e espero que essas dicas ajudem vocês, como me ajudam. Sei que muita gente vê o processo de modificar a alimentação como sofrido, mas juro pra vocês que pode ser tranquilo e prazeroso. Se você quiseram saber alguma coisa ou dar sugestões pros próximos Diários, deixem nos comentários ou nas redes socias. @byisarodrigues, segue lá!

Diário da Dieta #2: menos 10kg e mais disposição

Segunda é o dia mundial do recomeço, do tente mais uma vez, do uma nova oportunidade está te esperando. Então não teria dia melhor pra colocar no ar o segundo post da minha reeducação alimentar. Mês passado falei por aqui sobre minha relação com a balança e o que me levou a procurar uma nutricionista. Agora, passados dois meses desde que me desafiei a ser mais saudável, vim contar um pouco dos resultados iniciais, o que está me ajudando a chegar lá e espero que ajude quem tiver precisando desse empurrãozinho!

flo

O que já mudou?

Nesses 2 meses consegui perder 10 kg. E o melhor é que me sinto muito mais disposta, a aparência da minha pele (celulites e estrias) teve uma melhora visível e é indiscutível a repercussão de todas essas mudanças nos resultados do meu checkup. Consegui ainda algo que queria há um tempo, que era diminuir o consumo de refrigerante – acabei cortando e não tomo nem no dia que seria liberado. Com tudo isso, sei que ainda tenho muito a conquistar, mas vejo que a direção em que estou é a certa.

O que está me ajudando?

Já falei sobre algumas coisas no primeiro Diário de Dieta e outras são novidade, mas todas estão sendo positivas para mim.

  • Pesar toda semana. Todos os profissionais que conheci antes pesavam uma vez por mês e eu me sentia perdida, sem saber se estava fazendo tudo certinho. Indo toda sexta ao consultório, sei exatamente o resultado do meu esforço aquela semana, o que diminui muito a chance de jacar.
  • Ter sempre cardápio novo. Todas semana pego um, com opções e receitas diferentes. Isso ajuda a diversificar as refeições e dá pra comer quase tudo, respeitando as medidas e as formas de preparo.
  • Fazer exercícios que me dão prazer. Já contei que odeio academia? Pois então, optei pela caminhada e corrida. Além de ser ao ar livre, posso fazer em qualquer lugar e no horário que eu quiser.
  • Usar um frequencímetro. Resolvi comprar um e ele está me ajudando muito, pois consigo controlar o tempo de exercício e a intensidade. Tem só duas semanas que to usando e ainda vou aprender melhor sobre os recursos que ele tem, mas já estou gostando muito.
  • Ter uma refeição livre. Em um dia da semana ou fim de semana eu posso escolher uma refeição e comer o que eu quiser. E aí vale de tudo viu? Geralmente deixo pra fazer no sábado a noite e no domingo de manhã já acordo focada, firme na dieta e comendo saudável.
  • Traçar metas possíveis. Todo início de mês minha nutricionista traça uma meta, geralmente prevendo a perda de 4 a 5kg. Se a gente pensar no que precisa perder no total, vai parecer muito e até impossível. Indo de pouco a pouco, dá pra focar só na meta do mês e chegar lá rapidinho. 

É isso! Se quiserem saber mais, deixem perguntas aqui ou nas redes sociais que vou adorar responder e trocar ideias, assim a gente se ajuda. Alguém tá fazendo ou querendo começar um processo de emagrecimento saudável? Me contem 🙂 Mês que vem volto pra contar mais coisas boas pra vocês!